O Patrimônio Estacionado

Matéria publicada n’O Estandarte, em 24 de junho de 2013.

 

Cine Excelsior vira estacionamento e é suspendido de funcionar

Por Natália Lima

Cine Excelsior vira novo estacionamento para cidade Créditos: Blog Cinema ExcelsiorNa última sexta-feira, 21 de junho, por decisão da justiça, do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e intermédio do Movimento Salvem o Cine Excelsior o estacionamento foi fechado provisoriamente, porque continha  irregularidades em sua construção e  inadequações  de segurança, o que nos comprova a força das organizações em massa e a negligência dos empreendedores  no cumprimento das leis.

O Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural (Comppac) vinculado à Fundação Cultural Ferreira Lage (FUNALFA) propõe-se em proteger o patrimônio cultural da cidade, porém depois de terem analisado o processo por nove vezes  não viram a necessidade do espaço ser tombado, deste modo, o fim do  Cine Excelsior  resultou em um conflito que de um lado está a ação dos empreendedores quais visam a urbanização, o crescimento econômico e o progresso, e de outro os ambientalistas, os cineastas, os históricos, arquitetos, e os turismólogos,  quais desejam a preservação da memória arquitetônica do município e a utilização do espaço para  a cultura e educação.

 Em 2013, mais de 80 solicitações de demolições foram protocolados pelo Comppac, confirmando  que os nossos patrimônios estão sendo destruídos para ceder lugar a  prédios  e a lucratividade.

 O descaso vigente  com  a  transformação do Cine Excelsior em estacionamento, nos  alerta para o  déficit na política, a qual  só conquistará a legitimidade e veridicidade com a população  quando defender e preservar  nossos valores, nossa cultura e nossa tradição. Contudo, será que a política de Preservação do Patrimônio Cultural de Juiz de Fora é ativa e eficisente?

Atualmente, tornou-se um grande desafio  preservar os patrimônios culturais,  porque   investir em comércio é mais atraente para os donos de propriedade privada. Portanto, resguardar estes monumentos, requer uma política pública de Preservação do Patrimônio Cultural que seja mais eficaz, para que a história  de Juiz de Fora  não vire  poeira, ou que fique lembrada apenas pela memória, pelas fotografias e pinturas, e  muito menos que seja paulatinamente esquecida. De tal modo, o fechamento do estacionamento faz reavivar  a reversão do indeferimento do tombamento votado pelo Comppac e a esperança de que poderemos ver o Cine Excelsior como promotor de cultura e entretenimento conforme almeja o Movimento Salvem o Cine Excelsior.

Créditos: Facebook Cine Excelsior

Fonte: O Estandarte

Espalhe no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *