Cine Excelsior: 56 Anos

UMA DATA PARA COMEMORAR O DESCASO, A INÉRCIA E O ABANDONO?

 

Hoje é a data em que o Cine Excelsior completa 56 anos passados a sua primeira exibição pública. Desde aquele 8 de fevereiro de 1958 foram muitos os momentos marcantes e emocionantes na vida de milhares de espectadores e períodos enaltecedores, que elevaram o nome da cidade a nível nacional da cultura cinematográfica. Mas, infelizmente, não teremos o prazer de parar para contabilizar o progresso e avanço tecnológico pelo qual deveria passar o antigo e majestoso cinema.

Lamentavelmente hoje temos a incômoda pergunta, e esperamos que talvez os responsáveis por tal quadro, como os conselhos e órgãos públicos municipais, em particular o COMPPAC e a FUNALFA, possam responder a seguinte pergunta: HOJE É UMA DATA PARA COMEMORAR O DESCASO, A INÉRCIA E O ABANDONO?

Sempre que uma foto do Cine Excelsior é compartilhada nas redes sociais, lemos os lamentos e testemunhos de dezenas de internautas, provas de que ele era o melhor de seu tempo e vemos que, hoje, já poderia estar aberto e funcionando, a exemplo do Cine Belas Artes em São Paulo, depois de pouco mais de um ano fechado, será reaberto em três meses após assinatura de acordo com a Caixa Econômica Federal. Enquanto isso, Juiz de Fora permanece parada no tempo.

A Associação de Amigos do Cine Excelsior permanece vigilante, de olho na ação popular que ainda corre nos tribunais e continuamos na luta para que o Cine Excelsior volte a funcionar.

Assim como não deixamos passar a data do aniversário da primeira exibição pública em branco. Apesar de tudo, parabéns, Cine Excelsior!

 

Excelsior-02imagem: Maria do Resguardo

Espalhe no Facebook

Descaso com o Cine Excelsior e com o Audiovisual de Juiz de Fora

Cine Excelsior - A Fuga

.

Para quem o conhecia, a projeção cultural do Cine Excelsior mudou os parâmetros tecnológicos no mercado exibidor local, principalmente no decorrer dos anos de 1960 e 1970, proporcionando à cidade condições para que ela tivesse momentos de intensa atividade artístico-cultural através do meio cinematográfico, permitindo a exibição de filmes com grande experimentação técnica por meio de novas tecnologias.

Não resta dúvida, por tudo que lhe diz respeito, a importância do Cine Excelsior como espaço de interesse estritamente cultural, com elementos da Arquitetura Art Déco em transição ao Movimento Moderno da Arquitetura brasileira da década de 1950, tornando o cinema único como “uma joia rara da Arquitetura” de Cinemas (como atestou o Presidente do Instituto Art Déco Brasil maior autoridade no assunto no país); como também o vínculo estabelecido com a população através da imaterialidade típica, dos laços de identificação afetiva e cultural; e finalmente a função cultural dentro do contexto geral da cidade de Juiz de Fora.

Entretanto, o órgão competente da municipalidade é incapaz de ouvir a vontade popular e, fechado em si mesmo, delibera contra o interesse do coletivo e decreta de forma inconseqüente o fim deste ícone do que havia de melhor na cultura moderna em exibição da sétima arte no país.

O falso progresso, que não promove a inclusão social dissociado do desenvolvimento socioambiental, aliado ao descaso do Poder Público, impõe a perda do Patrimônio Cultural remanescente da cidade. A memória afetiva do povo juizforano vai sendo aos poucos fragmentada e apagada definitivamente de nossa história.

Falta sensibilidade política em nosso município, bem como visão empreendedora do setor cultural para elaborar estratégias de captação e realização de investimentos na preservação de nossas potencialidades e de desenvolvimento do turismo cultural de forma a enaltecer o riquíssimo legado de nossos antepassados, o mesmo deixado pela “era” da saudosa Manchester Mineira.

O investimento público, que é dever constitucional do poder público, de forma a fomentar o Turismo Cultural e de eventos, é propício para atrair milhares de turistas da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Fato que sem dúvida alguma criaria uma demanda de empregos e geração de renda de forma a oportunizar o retorno da vocação natural da cidade.

A atratividade de investimentos tem apoio declarado de Deputados, mas nosso poder municipal não sinaliza em nada neste sentido e se cala sobre o Excelsior. O lugar comum do discurso ralo da FUNALFA e COMPPAC parece ser restrito acerca do Museu Mariano Procópio e do Teatro Pascoal Carlos Magno, ambos exemplos de desgovernos e desprezo. Esquecem dos demais problemas da cultural local.

Episódios como a transformação do espaço do Cine Excelsior em “estacionamento” reflete o despreparo, o descaso e a falta de visão de nossos gestores da cultura e do governo municipal para com o desenvolvimento da cidade. Trata-se de uma flagrante violação da verdadeira função social da propriedade insculpida em nossa Constituição. Ou seja, sobrepondo o interesse puramente comercial acima do interesse coletivo; que é o da restauração e manutenção dos laços de afinidade cultural da cidade.

O Cine Excelsior não pode morrer!!! E a população não pode deixar isto acontecer! Não podemos deixar de nos indignarmos com tal situação!!!

Isto é o que temos para hoje.

Assinado

Associação Amigos do Cine Excelsior

.

Estacionamento Excelsior-23-05-2013

Espalhe no Facebook

Endereço Certo?

Nota da coluna do jornalista Wilson Cid, publicado no TER Notícias de 27 de fevereiro de 2013:

.

.

Fonte: TER Notícias

Espalhe no Facebook

Projeto apresentado pelos donos do Cine Excelsior pode ser de 1956

Matéria publicada pelo jornal TER Notícias em 26 de fevereiro de 2013.

Aqui há a denúncia de que o projeto de reforma pegou o desenho baseado em um projeto original do Cine Excelsior que não foi construido.

.

.

Fonte: TER Notícias

Espalhe no Facebook

E o Excelsior?

Deu na coluna do jornalista Wilson Cid, publicado no TER Notícias de 20 de fevereiro de 2013 (clique na imagem abaixo para ampliar):

.

.

 “Apurou-se ontem. Até o final da tarde o prefeito Bruno não havia recebido qualquer sugestão para a compra do imóvel onde funcionou o Cinema Excelsior, iniciativa que devia partir de seis de seus secretários, ex-vereadores há quatro meses derrotados nas urnas. Quando tinham mandato, eles votaram moção de repúdio ao Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural por não ter acolhido a proposta, mas, ao contrário, a rejeitou nove vezes. Aguerridos e raivosos defensores daquele imóvel, é estranho que ainda não tenham se manifestado ao prefeito, que tanto prestígio lhes conferiu, diferentemente do que manifestaram as urnas.”

Fonte: TER Notícias

Espalhe no Facebook

EXCLUSIVO: Novas imagens da destruição do Cine Excelsior

Enquanto o Movimento prossegue com a AÇÃO POPULAR na justiça, contra o indeferimento do pedido de tombamento e interesse cultural pelo COMPPAC, conseguimos com exclusividade novas imagens do destruição e descaracterização do interior do Cine Excelsior de Juiz de Fora (MG).

Tais fotos são as mais recentes e são parte da vistoria feita pelo CREA-MG, órgão competente para tal, que abriu mais um auto de infração nesta obra (cuja infração agora foi o da ausência – até antes do Carnaval – de profissionais capacitados responsáveis do projeto elétrico, cálculo estrutural e de segurança do trabalho.

Infelizmente, tal obra teve, por incrível que pareça, seu projeto aprovado e alvará liberado pela Secretaria de Atividades Urbanas (SAU) da Prefeitura de Juiz de Fora no último dia 28 de dezembro de 2012 (dias antes da transferência para a nova gestão). Ao que parece, pelas irregularidades que continuam existindo e pela falta de uma visão mais ampla de gestão cultural aliada à fiscalização mais minuciosa da obra, ele segue seu ritmo: destruindo um patrimônio cultural sem precedente.

Ao que tudo indica, e as fotos mostram isso, parece não haver mudanças na nova administração municipal, que vê tudo de longe, calada, como se o futuro deste cinema é um fim fatídico e já decretado – a revelia do verdadeiro interesse popular reivindicado e legitimado pelo nosso Movimento Salvem o Cine Excelsior (que tornou-se uma organização mais efetiva nos últimos 18 meses e que vem apontando sistematicamente para o problema da iminente perda do espaço para a especulação imobiliária de empresários locais.

Por que a atual Prefeitura não paralisa esta obra? Por que não se reavalia sua preservação e até a desapropriação do imóvel? Será que a Prefeitura atual vai ficar vendo a tudo calada?

O duro é saber do potencial que este espaço tem para a cidade (e região) e ver a inércia da municipalidade em resolver este impasse.

Enquanto no resto do Brasil, as políticas públicas estão focadas em fomento de projetos de construção, instalação, modernização e digitalização das salas de cinemas de todas as regiões do país se beneficiando inclusive de desoneração tributária, o audiovisual local lamenta a situação de esquecimento e falta de investimento em sua memória e reza pelo bom senso de seus governantes para reverter este quadro. Ainda dá tempo. Basta querer fazer!!

Hoje, a novela do Cine Excelsior está restrito ao campo do comprometimento político do “querer fazer”.

O resto, corremos atrás.

.

Continue lendo “EXCLUSIVO: Novas imagens da destruição do Cine Excelsior”

Espalhe no Facebook

Movimento faz coletiva para a imprensa na OAB-JF

Hoje, dia 29 de novembro de 2012, no auditório da seccional regional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Juiz de Fora, localizado na rua Marechal Deodoro, o Movimento Salvem o Cine Excelsior realizou uma coletiva especial para a imprensa. O objetivo foi detalhar a atual situação em que a questão do cinema se encontra e explicar a nova iniciativa do Movimento: o ingresso de uma Ação Popular contra o COMPPAC e, solidariamente, a Prefeitura de Juiz de Fora.

A Ação Popular, movida nos últimos dias, procura (entre outras coisas) anular a ata que indeferiu o último pedido de tombamento do cinema e visa colocar o poder judiciário como agente ativo no processo de tombamento e desapropriação do imóvel para bem público, uma vez que a maioria dos membros do COMPPAC tem ignorado sistematicamente o interesse cultural no qual o Movimento tem representado de forma ativa e organizada a vontade popular.

A coletiva teve a participação dos lideres do Movimento, os cinestas Franco Groia e Alessandro Driê, além do advogado na lide, o Dr. José Rufino Jr., que falaram sobre o propósito desta ação e a relação da grande importância que o cinema representa para a história do cinema e da cultura de Juiz de Fora e região.

Esta foi uma de muitas atividades que o Movimento pretende a partir de agora realizar no sentido de dirigir uma grande discussão sobre o futuro do espaço e a sua própria organização enquanto entidade de preservação da memória audiovisual da cidade.

Espalhe no Facebook

Cine Excelsior no Debate da TV Alterosa

O Cine Excelsior foi mencionado no debate dos candidatos à Prefeitura de Juiz de Fora, realizado pela TV Alterosa, no dia 23 de outubro de 2012.

Vale lembrar, que nestes 18 anos em que o cinema esteve fechado, inúmeras discussões foram realizadas, inclusive com Audiência Pública na Câmara Municipal.

O Conselho de Patrimônio (COMPPAC) de hoje, como ele opera, é avesso ao clamor da população. O Movimento Salvem o Cine Excelsior levou o debate às ruas, à imprensa, às Audiências Públicas e ao próprio COMPPAC pedindo a preservação do Cine Excelsior. Esse Conselho ignorou o nosso pedido e o de todos os Vereadores. O COMPPAC negou o tombamento e o seu interesse cultural de forma unilateral e sem informar ao Movimento até mesmo o desenvolvimento do trâmite do processo!

Para ver o debate na íntegra, clique aqui.

Espalhe no Facebook

Na calada da noite, um templo está sendo montado onde era o Cine Excelsior!!!

Parabéns, Juiz de Fora! Ou melhor, nossos sentimentos de pêsames!!! Pois a cidade perdeu seu maior e melhor cinema….

Mais uma vez, por ser uma cidade sem critérios de preservação, nossa cultura empobrece…

Enquanto a cidade vivem tempo de eleições, no escuro dos tapumes, na calada da noite e nos dois últimos finais de semana, sem laudo ou inspeção do Corpo de Bombeiros, plano de impacto de trânsito e sem a menor condição de infraestrutura – ou seja, sem a menor segurança, uma igreja é montada na surdina aonde era o Cine Excelsior….

Não há fiscalização séria da Prefeitura e nem estudo de impacto do empreendimento na vizinhança. A Secretaria de Atividades Urbanas (SAU) fica ao lado (no prédio do CESAMA) mas parece que dorme tranquila. A Secretaria de Trânsito, então, finge que não é com ela.

Pior: Sem o conhecimento do condomínio do edifício residencial onde está instalada onde a convenção é clara em regular a atividade em área comum e particularmente a de cinema.

E sem respeitar a decisão de duas ações julgadas em Tribunal Justiça de Minas Gerais de suspender a realização de qualquer obra no local, a SAU insiste em dar alvarás provisórios e buscas prévias irregulares. Há 10 dias o Juiz da 2ª Vara deu sentença favorável aos atuais proprietários do Cinema – mas a decisão ainda cabe recurso e, se depender do Condomínio e de seus moradores e do Movimento Salvem o Cine Excelsior, essa luta não vai parar tão fácil!!

Com pressa em dar ocupação ao embrólio, os donos do Cinema o alugaram para uma Igreja Evangélica, que agora estão tentando, a todo vapor, colocar seu MEGA TEMPLO para funcionar! Pior, ainda especulam na mídia local a sua marca na área central da cidade!!!

Tudo para inaugurar aos trancos e barrancos, enquanto os cidadãos da cidade estiverem com seus olhos voltados para a corrida eleitoral. Isso mesmo: inauguração “oficial” marcada para domingo, dia 7 de outubro, às 17h!!!!

Ou, pelo andar da carruagem, até mesmo antes, como dizem alguns dos transeuntes que por ali estão indo e vindo (trazendo suas cadeiras de plástico a mando dos pastores). Não há fiscalização à noite nos dias de semana, nem domingos, nem sábados e nem feriados….

Parabéns a todos, por permitir a abertura de uma igreja em um espaço destinado sempre à área cinematográfica e à cultural local.

Parabéns ao prefeito Custódio Mattos!

Parabéns, COMPPAC (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Municipal)!!! que através da figura do seu presidente Antonio Siqueira Dutra (Toninho Dutra) e de seus membros como Paulo Gawryszewski, Wilson Coury Jabour Júnior, Antônio Henrique Duarte Lacerda, Maria Sallete Ferreira Figueira, Suely Gervásio Ferreira, Mara Beatriz Sell e Rodrigues e Wilson Borrajo Cid, que votaram CONTRA O INTERESSE CULTURAL e se negaram a preservar o Cine Excelsior, QUE FOI PLEITEADO LEGITIMAMENTE por pedido dos líderes do Movimento endossado por mais de 1.500 pessoas e pela CÂMARA MUNICIPAL.

Enfim, lastimável! Mas a luta continua!!! Saravá!!!

Continue lendo “Na calada da noite, um templo está sendo montado onde era o Cine Excelsior!!!”

Espalhe no Facebook

Tombamento do Cine Excelsior é recusado pela nona vez

Matéria publicada no Diário Regional, de 5 de julho de 2012.

Espalhe no Facebook

Tombamento do Cine Excelsior é rejeitado pelo Conselho Municipal

(Reproduzimos matéria da Rádio Catedral de Juiz de Fora, realizada pelo jornalista Raphael Lemos – disponível na íntegra no endereço: http://radiocatedraljf.com.br/site/tombamento-do-cine-excelsior-e-rejeitado-pelo-conselho-municipal/ )

O Cine Excelsior pode estar com sua transformação em estacionamento encaminhada. Isso porque o Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural (Comppac) rejeitou, em reunião realizada na última segunda-feira, o pedido de tombamento proposto pelo Movimento Salvem o Cine Excelsior. Indignado com a decisão, o líder do movimento, o professor universitário Franco Groia, reclamou da falta de comunicação por parte do Conselho.  (escute aqui)

O superintendente da Funalfa, Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage, e presidente do Comppac, Toninho Dutra, defendeu que a decisão do Conselho reafirma pareceres anteriores.  (escute aqui)

Sobre a queixa de que o processo teria sido pouco transparente, o presidente do Comppac, Toninho Dutra, argumentou que não há instrumento legal que obrigue o Conselho a convidar o requerente a participar da reunião. (escute aqui)

Ontem, o líder do Movimento Salvem o Cine Excelsior, Franco Groia, entrou com uma representação no Ministério Público pedindo a verificação de todo o processo.  (escute aqui)

Sobre a representação no Ministério Público, o presidente do Comppac disse não ter sido informado a respeito e alega que não vê necessidade de o Conselho ser apresentado, mas que caso seja solicitada a manifestação do órgão, este irá se posicionar. O Cine Excelsior foi inaugurado em 1958, e está fechado há 18 anos. Os donos tentam transformar o local num estacionamento. As obras já estavam em curso no ano passado, quando foram embargadas pela Prefeitura devido à falta de laudos técnicos.

(*) para ter acesso à Lei Municipal de Proteção ao Patrimônio Cultural clique aqui.

Espalhe no Facebook

Cinema novo

Artigo publicado no blog do Gueminho, em 03 de julho de 2012.

O cinema no fez acreditar que toda história tem um final feliz. Na vida é diferente.

É duro pensar que o Cine Excelsior vai desaparecer definitivamente, mas quem realmente quer salvá-lo?

A Câmara Municipal poderia fazer um projeto de Lei que desapropriasse o imóvel, considerando-o de importância cultural. Porém, seria vetado pelo Executivo, que tem na decisão do COMPAC suporte legal para sua impassibilidade.

E todos esses citados (legislativo, executivo e conselhos) representam democraticamente o povo dessa cidade. E é aí que a coisa se define. O povo quer shopping, quer festas de bebida liberada, quer torresmo, quer casa em condomínio, quer vaga na faculdade e outra na rua pro carro novo.

Estamos presenciando o resultado de uma geração de opções erradas, de propaganda política, da ditadura de caciques donos de pequenos quintais. Voltamos a ser aquela cidade de passagem do século XIX, onde os tropeiros a caminho do Rio paravam e seguiam.

Juiz de Fora está deixando de ser a cidade de quem vive nela para ser a cidade de quem vive dela.

Será preciso pelo menos uma geração de opções certas pra reconstruir nossa identidade e não há nenhum sinal importante que isso vá acontecer.

Mostrem-me que estou enganado, por favor.

Se você acredita que aquela borboleta vai arrastar a pedra, siga sonhando.

Fonte: Blog do Gueminho

Espalhe no Facebook

Cuidar o COMPPAC não quer

Espalhe no Facebook

Declarar o COMPPAC não quer

Espalhe no Facebook

Proteger, o COMPPAC não quer…

Espalhe no Facebook